15 museus que seu filho precisa conhecer no Brasil e no mundo

15 museus que seu filho precisa conhecer no Brasil e no mundo

Esqueça aquela ideia de que o museu é um lugar onde crianças não são bem-vindas. Existem vários lugares incríveis para você levar seu filho. Nesses passeios, os pequenos (e os pais!) podem aproveitar para se divertir, explorar e aprender muito! Listamos 15 opções no Brasil e no mundo para ir em família. Confira:

Museu do Futebol – São Paulo

O museu é temático e dedicado inteiramente ao futebol. Construído no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, antigo Estádio Municipal do Pacaembu, tem uma grande surpresa logo de cara: quando você chega, é recepcionado por ninguém menos do que Pelé! Uma gravação do jogador apresenta o espaço em três línguas: português, espanhol e inglês. Em uma das salas, o visitante pode escolher vídeos a partir dos narradores e descobrir qual foi o gol que marcou a vida de cada um deles. Além disso, o museu pode te levar para o meio da sua torcida. Na sala Exaltar, o torcedor é o centro das atenções e pode se sentir como se estivesse no meio da arquibancada ao ouvir mais de 30 cantos e gritos de torcida. Há ainda uma sala totalmente dedicadas às Copas do Mundo com detalhes das conquistas e derrotas do Brasil, com informações sobre o pano de fundo do contexto político, social, econômico e cultural em que cada uma aconteceu. Para terminar o passeio, nada mais justo do que uma voltinha pela arquibancada do Pacaembu.

 (Foto: )

Inhotim – Brumadinho

Um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina, o Instituto Inhotim fica em Brumadinho (MG) e possui um Jardim Bortânico incrível. Acolhendo visitantes de todas as faixas etárias, o museu tem vários projetos educativos durante o ano todo. Um dos espaços mais interativos é o Espaço Ciência, onde os visitantes são convidados a dar um “mergulho” no tema “água”. Com o auxílio de lupas, microscópios, apresentação em tela touchscreen e até exposição de algumas plantas aquáticas do Jardim Botânico Inhotim, o visitante é apresentado à importância da água para diferentes formas de vida.

 (Foto: )
Catavento Cultural – São Paulo

O Catavento é um museu interativo dedicado à ciência. Ele é dividido em 4 espaços: Universo, Vida, Engenho e Sociedade. Na parte do Espaço Universo, os visitantes são convidados a ver as constelações no céu de são Paulo, a aprender como funciona o Sistema Solar e até a tocar em um meteorito de verdade! No Espaço Vida, é possível ver de pertinho a evolução humana, o corpo humano e outros diferentes tipos de vida, desde os dinossauros, passando por toda a biodiversidade brasileira. No Espaço Engenho, é possível interagir com experimentos de mecânica, som, eletromagnetismo, ótica e muitos outros. Por fim, na parte do Espaço Sociedade, o público é apresentado às maravilhas da Terra, a ecologia, a história do Brasil, laboratórios de química e física e até uma parede de escalada.

 (Foto: )
Museu das Minas e dos Metais – Belo Horizonte

Voltado principalmente para a interatividade com o público, o Museu das Minas e dos Metais apresenta um percurso pelas principais minas do Estado, como as de ferro, ouro, zinco e diamante. Na Sala das Minas, os visitantes são convidados a ir para as profundezas da Mina de Morro Velho por meio de um elevador e são apresentados à história das minas por meio de personagens históricos e fictícios. Em uma cozinha diferente e especial,  no lugar de alimentos, cozinham-se as panelas e os processos de fusão de metais e de formação de ligas são revelados. No andar do Metal, o público é apresentado às teorias da formação do universo, do Big Bang e da evolução do Planeta Terra. Atrações interativas são espalhadas por todo o andar e o visitante pode, por exemplo, medir a quantidade de metal e substâncias minerais presentes no seu corpo, converter o valor do ouro para algumas mercadorias, como feijão, açúcar e algodão, comparando as informções com séculos passados e ainda vestir-se com várias joias na atração Espelho Mágico.

 (Foto: )
Museu do Amanhã – Rio de Janeiro

Você imagina quais serão as possibilidades do amanhã? As exposições desse museu vão ajudar a tirar a dúvida. Na verdade, o maior objetivo aqui é provocar o público a questionar mais e mais. A exposição principal convida os visitantes a pensar e inspira uma convesa sobre as recorrentes perguntas: de onde viemos? Quem somos? Onde estamos? Para onde vamos? Como queremos ir? A ideia é convidar todo mundo para construir o amanhã que queremos. E quem melhor para fazer isso do que as crianças?

 (Foto: )
Natural History Museum – Nova York

Se você visitar o Museu e sentir que já o conhece de algum lugar, não se preocupe, não é déja vu! O Natural History Museum foi cenário do filme Uma noite no museu. O local é especialmente conhecido pela grande coleção de fósseis, inclusive de algumas espécies de dinossauros – uma das grandes atrações com mais de 30 milhões de ossos e um T-Rex de quase 15 metros logo na entrada. No Rose Center for Earth and Space, outra atração, exposições exploram os diferentes tamanhos e a variedade no cosmos e a natureza das galáxias, estrelas e planetas. No meio da sala, uma esfera de mais de 26 metros parece flutuar dentro de um cubo de vidro e nada mais é do que o planetário.

 (Foto: )
Miami’s Children Museum – Miami

Em um espaço completamente preparado para as crianças. Elas vão adorar correr, pular, brincar e aprender. O museu abriga diversas áreas e, logo na entrada, as crianças encontram uma minicidade (que é um dos maiores sucessos!) com supermercado, hospital e banco. Os pequenos vão poder fazer compras, aprender noções de higiene, a importância dos exercícios e da economia do próprio dinheiro – de mentirinha, claro. Outra área que atrai os pequenos é o Castelo dos Sonhos, que é uma viagem de aventura e imaginação – sem contar a decoração, que é um show a parte.

 (Foto: )
Cité des Sciences et de l’Industrie – Paris

Um dos principais objetivos do Cité des Sciences et de l’Industrie (ou Cidade das Ciências e da Indústria, em tradução livre) é proporcionar ao público conhecimentos científicos e técnicos. O museu tem atrações especiais, separadas por grupos de 3 a 5 anos e de 5 a 12 anos. Na parte principal, Explora, várias atividades lúdicas e científicas podem ser realizadas por toda a família. Os visitantes podem viajar e conhecer melhor temas como matemática e fenômenos físicos como a imagem, o som e os efeitos de luz. Ainda é possível explorar a origem do Universo, das estrelas, das galáxias e muito mais. Uma das áreas infantis tem como tema a descoberta da criança sobre ela mesma a partir de alguns passos. Eles começam descobrindo seu próprio corpo em diversos ângulos e a própria voz, de um jeito que eles nunca ouviram antes. Com  atividades sensoriais, elas conhecem suas habilidades e exploram suas emoções em pequenas cabanas, representando a alegria, o medo, a raiva, a tristeza, etc.

 (Foto: )
Horniman Museum – Londres

Neste museu, há uma variedade de animais, em diferentes habitats. As crianças vão poder aprender sobre suas vidas e os lugares em que vivem. É possível, por exemplo, entender (finalmente!) a relação entre o Nemo e a casa de anêmona dele! O museu possui um enorme jardim e um aquário com diferentes espécies para o público ver de pertinho águas-vivas, rãs e outros seres marinhos.

 (Foto: )
London  Transport Museum – Londres

O museu conserva e expõe o patrimônio dos transportes da capital britânica, desde 1920 – quando a preservação de dois ônibus foi feita para gerações futuras. A partir dos veículos expostos no museu, é possível viajar na história de Londres e seu sistema de transportes ao longo do últimos 200 anos e entender a ligação entre a evolução dos transportes e o crescimento da cidade.

 (Foto: )

Domus, La casa del hombre – Espanha

Este é o primeiro museu interativo a tratar de forma exclusiva o ser humano. Ao mesmo tempo em que estimula a curiosidade de seus visitantes, diverte e causa a reflexão. A partir de suas exposições, que exploram áreas como a identidade, os sentidos e os sistemas biológicos dentro da evolução humana, o museu segue o lema “Conhece-te a ti mesmo”.

 (Foto: )

Techniquest – Reino Unido

Se seu filho gosta de ciência, depois de visitar o Techniquest, ele vai querer aprender ainda mais. As experiências interativas que o museu oferece são acessíveis a todo tipo de público. Os visitantes acabam criando um diálogo maior com as áreas da matemática, engenharia e, claro, a tecnologia.

 (Foto: )

Exploratorium – São Francisco

Já pensou em descobrir de maneira prática e divertida os conceitos de física elétrica, mecânica, ótica e aqueles conceitos de química e biologia que a maioria das pessoas não consegue entender nunca na escola? Pois bem. Essa é a proposta do museu que, por meio de experiências superinterativas, promete encantar seus visitantes. O Exploratorium é um museu de experiências, onde as crianças aprendem vivenciando e comprovando cada fato científico que está exposto. Uma das atrações mais encantadoras, é o Bechtel Central Gallery: Seeing and Listening, onde as experiências com luz e visão, som e audição são aguçadas.

 (Foto: )
MoMath – Museu da Matemática – Nova York

Este museu é dedicado às crianças e tem o objetivo de fazer da matemática algo divertido e interessante. O MoMath é totalmente interativo e possui várias exposições onde o público pode brincar e aprender ao mesmo tempo. Uma das atrações mais procuradas é o triciclo com rodas quadradas – as crianças adoram! Todas as exposições procuram mostrar as conexões entre a matemática e o nosso cotidiano em hábitos simples, como ouvir música, praticar esportes e até mesmo fazer bolhas de sabão.

 (Foto: )

Art Institute of Chicago – Chicago

O AIC possui em seu acervo uma das coleções mais especiais do Impressionismo. Uma das áreas mais interessantes é a chamada The Elizabeth Morse Touch Gallery, onde o visitante pode experimentar usar o sentido do tato para enriquecer sua experiência no museu. Todas as obras desse setor são réplicas tocáveis, especialmente projetadas para visitantes com deficiência visual – mas que, claro, todo mundo aproveitar para tocar.

Fonte Revista Crescer

Leave a Reply