Cuidados com a gestação tardia

Cuidados com a gestação tardia

Com a maior participação feminina no mercado de trabalho e maior escolarização, o cenário das famílias e da maternidade mudou. Nem os médicos sabem mais qual a idade limite para engravidar: os tratamentos evoluíram de tal forma que até para uma mulher com mais de 50 anos é possível gerar uma criança saudável e dar à luz sem maiores complicações.

Ainda que a mulher com 35 anos tenha mais dificuldade na fertilização, pela queda na qualidade dos óvulos, são aquelas que engravidam só a partir dos 40 que passam a integrar o grupo de riscos gestacionais. Se levássemos em conta apenas o que o nosso corpo diz, as gestações deveriam acontecer entre 20 e 30 anos, quando ele está mais bem preparado para gerar um bebê.

Hipertensão, diabetes e sobrepeso, aliados à má qualidade dos óvulos depois dos 40 anos – todos esses fatores não impedem que a gestação seja tranquila e o bebê, saudável. Como as mulheres mais velhas planejam a gravidez com mais cuidado, é possível tomar algumas atitudes antes para aproveitar os nove meses com o barrigão.

Primeiros passos – na gestação planejada, a mulher deve procurar o obstetra de seis a três meses antes de começar a tentar engravidar. É importante que a saúde dela esteja em dia. É muito importante que a mulher busque controlar qualquer resultado alterado nos exames.

Acompanhamento – os dois grandes vilões das gestações tardias são diabetes e hipertensão, muitas vezes causadas pelo sobrepeso da mãe e pelo histórico de saúde dela. Ainda que a rotina não precise ser alterada, a mulher deve mudar algumas atitudes e buscar ser mais saudável. Fazer exercícios moderados e cuidar da alimentação ajudará no controle do peso antes e depois da gestação. A variação dos quilos ganhos não muda com a idade da mulher, só depende de seu peso inicial. Por isso, a importância de emagrecer antes de pensar em engravidar.

Para as hipertensas, o último trimestre costuma ser o mais perigoso: é nessa fase que podem ocorrer a eclâmpsia e a pré-eclâmpsia. Ainda sem causa definida, essas doenças fazem com que a pressão da mulher aumente muito e ela perca grande quantidade de proteína na urina. Na pré-eclâmpsia, o tratamento exige repouso absoluto e medicação específica para o controle da pressão. Já a eclâmpsia faz com que a mulher sinta dores de cabeça, tonturas, dor abdominal e convulsões.

Vai adiar? – a primeira pergunta a se fazer é: “Com que idade estou pensando em engravidar?” Para as que pensam em gestar ao redor dos 40, especialistas recomendam congelar óvulos ainda jovens. Isso pode tornar a gestação muito mais segura, pois os óvulos congelados se comportam como jovens, diminuindo o risco de síndromes e alterações cromossômicas no futuro embrião.

 

(Fonte Revista Cláudia, Imagem Getty Images)

Leave a Reply