Finalmente os 3 anos!!!

Finalmente os 3 anos!!!

Quem espera que os “terríveis 2 anos” passe logo, mal sabe que os ”terríveis 3 anos” é ainda pior. A idade em que os bebês supostamente deixam de o ser. O sentido de responsabilidade começa agora a evidenciar-se, ao mesmo tempo que a palavra “crescido” passa a ser constante no discurso da criança e dos que a rodeiam. Ser considerado crescido é o seu maior motivo de orgulho. De tal forma que chamarem-lhe de bebê torna-se uma grande ofensa. Quando os filhos atingem os três anos, os pais começam a sentir uma leve sensação de liberdade, pois os filhos adquirem autonomia.

Esta é a fase onde ganhos enormes em linguagem e habilidades cognitivas estão acontecendo. Quase de imediato, as crianças adicionam palavras e frases no seu vocabulário e, muitas vezes, gostam de contar. Algumas dessas habilidades verbais recém-descobertas são exatamente o que fazem com que os filhos desafiem seus pais. “A razão pela qual os três anos são mais difíceis do que os dois, é que crianças de 3 anos são mais inteligentes, fisicamente maior e mais determinadas – com um maior nível de desenvolvimento da linguagem”, diz Dr. Fran Walfish, Psy.D., psicoterapeuta de crianças e famílias e autor do livro The Parent Self-Aware.

Aos 3 anos as crianças formam um pouco da sua identidade, são capazes de entender argumentações e são capazes, também, de conviver e brincar com outras crianças. Este, definitivamente, não é o momento de ceder aos ímpetos da criança. Elas testarão até saberem aonde podem chegar, e, por isso, este é o momento dos pais serem firmes e consistentes, seguindo uma linha de educação, mostrando que quem manda em casa são os pais. O papai e a mamãe é que ditam as regras que deverão ser respeitadas. Isso deve ficar claro na cabeça dos pais, para que possam transmitir isso com segurança isso para seus filhos.

Estas são as principais três características de uma criança de três anos: determinação, energia e autonomia. Os três anos marcam a passagem de bebê para criança, da creche para o pré-escolar. É o adeus aos “terrible twos”, em que as dificuldades de expressão do bebê conduziam, muitas vezes, às birras e ao descontrole, e a entrada numa fase em que pais e filhos começam a se entender melhor, a ganhar cumplicidades, a encontrar semelhanças de personalidade, a ter as primeiras grandes conversas,fruto da aquisição de uma linguagem mais elaborada e de uma imaginação gigantesca.

Obviamente todas as idades são especiais e importantes, mas os três anos ficam marcados por despedidas: a pele parece que já não tem aquele cheirinho de bebê e a saliente barriga de bebê está a desaparecer. De repente, temos ao nosso lado uma criança, com gostos e vontades, cheia de energia e determinação, que já mal nos cabe no colo. Respiramos fundo e sentimos que, afinal, passou tudo tão rápido.

Leave a Reply