Mitos e superstições sobre a gravidez

Mitos e superstições sobre a gravidez

Basta o exame dar positivo para surgir uma enxurrada de sugestões, superstições e crendices. São tantos que a mãe fica sem saber se acredita ou não. Os hormônios que surgem durante a gravidez colaboram para que a cabeça da gestante fique cheia de dúvidas e acreditando em tudo, ou quase tudo, que escutam das avós, tias, amigas e conhecidas (e até desconhecidos às vezes).

Conheça agora alguns dos maiores mitos e superstições sobre a gravidez:

  • O sexo pode prejudicar o bebê – O sexo só será proibido se o médico encontrar alguma alteração com a gestação (como deslocamento de placenta e tensão alta). Se não tiver problema algum com a gestante e o bebê, o sexo está mais do que permitido. O sexo não magoa o bebê, já que este está envolvido pela placenta. E além de aumentar o fluxo sanguíneo na área da bacia aumentando a oxigenação fetal, as endorfinas produzidas no orgasmo trazem a sensação de bem-estar ao bebê e também ajuda na preparação do parto.
  • Ficar em jejum para diminuir os enjoos – Pelo contrário, a mulher deve comer mais vezes e em menos quantidade se quiser diminuir a sensação de enjoo.
  • A grávida pode e deve comer por dois – Mais um engano. A mulher deve aumentar apenas 300 calorias por dia para que tenha uma gravidez saudável sem um grande aumento de peso. Essa quantidade já é suficiente para que o bebê se desenvolva de forma satisfatória. A mulher deve comer de forma mais saudável.
  • Se a grávida tem muita azia, é porque o bebê vai ser cabeludo – O que vai definir se o seu filho vai ser ou não cabeludo não é a azia e, sim, a genética. A azia aparece porque o útero pressiona o estômago, causando um refluxo do ácido do estômago.
  • Se os desejos da grávida não forem satisfeitos o bebê pode nascer com algum sinal – Os desejos são originados normalmente devido à necessidades do organismo da grávida, como falta de alguma vitamina. Mas se a mãe não comer alguma coisa em específico que tem vontade, acredite que o bebê não vai nascer com cara disso.
  • Grávidas devem fazer sauna ou permanecer em banheiras com água quente por muito tempo –  Outro mito! As grávidas não podem ficar em banheiras e saunas por muito tempo. O calor estimula a vasodilatação dos vasos, podendo levar a uma hipotensão arterial. E isso prejudica o transporte sanguíneo para o feto.
  • Beber muito leite significa que vai produzir mais leite –  Beber leite durante a gravidez não tem implicações na quantidade de leite produzido depois de o bebê nascer.
  • Soprar na nuca do parceiro quando este está a dormir, passa os enjoos para ele – Enjoos são causados pelas inúmeras hormonas que a mulher tem no seu organismo durante a gravidez e isso não melhora com esta situação. Também varia de mulher para mulher: algumas têm bastantes enjoos na gravidez, outras apenas nos primeiros meses e algumas não têm de todo.
  • Barriga larga indica menina e pontiaguda menino – A forma da barriga não tem relação com o sexo do bebê. A barriga desenvolve-se de acordo com o corpo da mãe, se bem que por vezes haja a coincidência de se relacionar com estes aspectos indicados.
  • Se a grávida tem muitos enjoos, é de certeza uma menina – Os enjoos estão relacionados com níveis elevados da hormonal Beta-HCG e com as alterações fisiológicas da gravidez no sistema digestivo. Nem todas as mulheres têm enjoos, o que se pensa que tenha a ver com a sensibilidade individual do organismo a esta hormona. Não tem nada a ver com o sexo do bebê.
  • Exercícios físicos durante a gravidez fazem mal – Grávidas não podem realizar as mesmas atividades físicas de antes da gravidez, mas exercícios supervisionados por um profissional especializado são mais do que recomendados. Hidroginástica e caminhada são exercícios de baixo impacto que podem ser realizados pela futura mãe.
  • Fazer o pino depois do sexo ajuda a conceber – Mito. Algumas pessoas pensam que fazer o pino (posição vertical com a cabeça para baixo e os pés para cima) depois do sexo ajuda a conceber a quem está a ter problemas em engravidar, o que não é verdade.
  • A diminuição de pelos na grávida significa que ela terá uma menina – A redução de pelos, em algumas grávidas, tem relação direta com o metabolismo hormonal da gravidez e não com o sexo da criança.
  • Se a grávida carregar chaves ou medalhas ao pescoço, a criança nasce com marcas na pele –Não há nenhuma relação entre as bijuterias que a grávida usa e a pele do bebê.
  • As grávidas não podem fazer depilação a cera – A depilação com cera quente ou feita com lâmina pode ser feita sem restrições. No entanto, a chamada depilação definitiva, ou depilação a laser, não é recomendada em nenhuma parte do corpo, já que nunca foram feitos testes para saber qual é o efeito do laser no bebê.
  • As grávidas não podem pintar as unhas – Os químicos existentes nos vernizes e na acetona não causam nenhum problema ao bebê.
  • Se a grávida andar com tesouras no bolso, o bebê nasce com lábio leporino – É uma crença popular sem qualquer fundamento científico. O lábio leporino pode ser uma malformação esporádica, não relacionado com nada identificado, pode ser de tendência familiar, ou estar relacionado com a toma de corticoides pela mãe no primeiro trimestre de gravidez.
  • Beber cerveja preta faz aumentar a produção de leite – Vários estudos já demonstraram que isto é totalmente errado! O álcool não é saudável nem na gravidez nem no pós-parto, altura em que se está a amamentar! Para aumentar a produção de leite deve-se fazer uma alimentação saudável e beber muitos líquidos, de preferência água, e dar de mamar ao bebê sempre que ele quiser, pois é o estímulo da sucção do bebê que aumenta a produção de leite.

Leave a Reply